segunda-feira, 24 de março de 2008

desfábulas

Estou com vontade de escrever minhas desfábulas. Há muito tenho na mente a idéia de produzi-las. Primeiro, porque adoro o gênero fábula. Segundo, porque adoro piadas sem graça. Terceiro, porque sou mestre em contá-las.

Vamos à primeira, então.

Desfábula # 1

Um pobre rapaz na rua passava fome e frio, quando se deparou com um açougue. Sentiu vontade de comer carne, coisa que fazia raramente, mas não sabia como fazê-lo, uma vez que não tinha casa, muito menos cozinha, que dirá fogão.

Mesmo assim, decidiu ir até lá e pedir ao dono do açougue um pedacinho de carne, quem sabe não conseguisse cozinhá-la ou fritá-la em algum lugar.

Chegando lá, o dono do açougue, vendo a situação deplorável daquele rapaz, ofereceu a ele um pedaço de pão, mesmo sem o rapaz dizer nada. Este, por sua vez, aceitou de bom grado o pão que lhe mataria a fome, mas não se esqueceu da carne.

Quando o açougueiro se distraiu, o rapaz avançou num naco de carne seca que havia ali pendurado e, antes mesmo de terminar de mastigar, o açougueiro mandou-lhe na testa um enorme cutelo, dizendo:

– Não aprendeu que onde se ganha o pão não se come a carne?!

2 comentários:

Branna disse...

Rsrsrs...
Realmente sua cara: "Dramático ou desgraçado". kkkk...
bjs

Jéh.*~ disse...

bom, ao menos ele teve a graça de provar o sabor e o dissabor.