domingo, 30 de março de 2008

damas











A (insistentes e implorados) pedidos...


Homens jogam dama, mulheres jogam xadrez


Vai parecer esquisito, eu sei, porque vem de mim, que sempre fui metido a feminista. Sempre tentei me envolver com a causa feminina (e com a masculina, de quebra, porque também me preocupo com meu futuro) e por todos os lados preguei a igualdade.

Hoje está em voga falar das diferenças e, mais que aceitá-las, ser diferente. Se você não é diferente, é massificado, é não-pensante, é figura par. E isso parece que o mundo "alternativo", que pensa, não quer.

Às vezes me questiono até que ponto nós “temos que ser” ou “somos” diferentes.

O fato é que eu constatei, com a ajuda da minha irmã – traidora das mulheres que me conta todos os segredos delas –, que as mulheres são realmente muito diferentes de nós, homens. É no mínimo engraçado ver um machista falar das mulheres. Me lembra daquela piadinha em que Deus concede dois dons, um a Adão e outro a Eva. Adão, mais que depressa – o mal da ejaculação precoce começa aí – pede pra mijar em pé, que esse era o primeiro dom. Eva, paciente, aguarda e fica com o cérebro, que era o segundo dom. Os machistas são os mais filhos da puta que existem. Porque eles sacaneam as mulheres, sacaneam os homens que não são machistas e (burrice!) a eles próprios com sua mania de imposição.

Mas eu até agora não cheguei aonde quero. Quero falar mal das mulheres, eu sei que vou conseguir, concentre-se: elas mentem muito. E nós não? Claro que nós mentimos, que dúvida... mas nossas mentiras são bestas, são simplórias demais. Nós as “fazemos” acreditar e cremos que as fizemos acreditar na gente, quando de fato elas sabem de toda a verdade ou não querem saber, realmente, a verdade e fingiram crer na gente pra tirar proveito de alguma coisa, pra nos controlar, na maioria das vezes. Obviamente, eu estou generalizando.

A mentira delas, contudo, é um requinte, é um arabesco de infindáveis e trabalhadas filigranas, coisa que só se vê na arte clássica. Sabe quando nos deparamos com aquele quadro lindo de um artista famoso e clássico? Sei lá, Michaelângelo? A gente investiga, procura, encontra um monte de coisas, vê um monte de possibilidades, mas chega uma cor, chega um traço, chega um detalhe que nós não conseguimos entender, tal a perfeição do negócio. Chegamos a descrer que aquilo tenha sido feito por mãos humanas. Pois é, assim é a mentira das mulheres. Porque se ela quiser descobrir a falcatrua do homem, ela descobre, porque nós deixamos rastros, nós contamos que ela vai acreditar de primeira. E se elas quiserem saber da verdade, assim, só por curiosidade, elas conseguem. Nem que pra isso tenham de mentir mais que a gente. Basta elas quererem.

Agora a mentira delas tem um contorno perverso. Elas criam situações e histórias insondáveis. Histórias que nos envolvem e que, por nosso passado ser mais sujo que pau de galinheiro (com todas as galinhas junto), nos fazem ficar desconfiados de nós mesmos, nunca delas. E é, muitas vezes, mentira.

Sabe quando vamos descobrir que é mentira? Nunca, porque o troço foi tão bem elaborado, que você acaba se deparando com o traço do Michaelângelo que você não entendeu como foi feito. Só existe uma maneira de ser derrubá-la: se ela te contar a verdade. Como esse fato é muito difícil de acontecer, você morre, é enterrado, reencarna e não descobre a verdade. Porque nossas mentiras são simples como o jogo de damas, nós até podemos ter uma estratégia, até podemos bolar um plano infalível para vencê-las, mas nós só temos três ou quatro jogadas pela frente, que eu penso ser o possível matematicamente. Já elas jogam xadrez, e nesse jogo doze é um número razoável de jogadas possíveis que se pode fazer pra derrubar o rei. Até você desmantelar onze dessas jogadas, você mesmo já está desmantelado, não agüenta mais ir atrás da verdade.

E seu rei tomba em xeque.

6 comentários:

Branna disse...

Ixii... é difícil assumir, mas lá vai: Vc num falou mal das mulheres, vc apenas comentou a realidade. Mas precisava ser tão cruel assim??? rsrsr...
Coitada de nós, "pobre sexo frágil". Não precisava nos colocar como seres perversos, manipuladores e calculistas. Se fazemos isso (e fazemos msm!) é quase que involuntariamente, imperceptivelmente... acredite! kkk...
E outra, não é nossa culpa se vocês não sabem mentir e não têm o dom de descobir as nossas modestas omissões. É que esse é o sexto sentido... herança da escolha de Eva no paraíso... E é isso o que nos torna, nas escala evolutiva, acima de vcs!
kkk...

Bjs
Inté!

aline disse...

lendo seu texto por um unico momento senti pena dos homens
(logico... milesimos de sgundos) e na mesma hora enxerguei vcs homens
e nos mulheres perfeitamente retratados por machado de assis, capitu com seus olhos de ressaca, e bentinho que passa sua vida toda com a incerteza da traiçao.

ps: sou sua aluna do planetado centro matutino.. adoro seu blog e o frequento diariamente :)

Jéssi Frazão disse...

Oieee Guga!
Primeiramente queria te parabenizar pelo blog,ele está ficando melhor a cada novo post!E concordo com vc quando disse que as mulheres mentem melhor.Eu não sei pq,mas vocês homens não conseguem ao menos disfarçar que estão mentindo,ai vcs pensam que nos enganam quando falam uma mentira e nós fingimos que acreditamos...hehe!

As diferenças entre os sexos realmente existem e são gritantes,e ficam cada vez mais visíveis.Gostei mto do seu texto e concordo com vc até na hora que nos chamou de perversas(pq realmente somos),aliás,éh sendo assim que conseguimos muitas coisas em relação aos homens!
hehee!=D

Bjoo prof!*.*

Anna Paula disse...

Aaaaaaah, vc disse uma verdade: nós sabemos mentir! E vcs sempre caem e sempre vão cair!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Porém, vcs mentem MAIS: em média 5 pra um! E nós somos, claro, muito mais capazes de detectar mentiras! ; )
pra vc ver: nós somos de mais!
HSUHUSHUSHUHSUUSHSHS

bjos!

Jéh.*~ disse...

bah!
homens e mulheres são ambos enxadristas...
talvez o grande mate do homem seja ser descoberto. de tantas falhas a céu aberto, não tem o que temer...

Danna disse...

Primeiro, kd um homem pra se defender..???

Mas, realmente Guga.. com esse texto vc naum falou mal da mulher, pelo contrário, só ressaltou como nossa inteligência e destreza perante os dissímulos da vida são aguçados... e nosso ego, óh!!! pra cimaaaaaa

xeruh...