sábado, 3 de maio de 2008

concretoII


Poema de Augusto de Campos, o maior concretista brasileiro de todos os tempos. Síntese de todos os inter-entre-sub-super-sobretextos que existem. Maravilhoso.

Um comentário:

Branna disse...

"Tudo está dito
tudo está visto
nada é perdido
nada é perfeito
eis o imprevisto
tudo é infinito"
Krak... Se vc soubesse o tempo que eu demorei pra lê-lo!!!
Nossa! Eu não conhecia... e o mais interessante é que dá vasão para interpretações variadas. Pirei!! Realmente esse texto é tudo o que você disse ai mesmo.