quarta-feira, 1 de outubro de 2008

VotarII

Meu programa de tevê predileto passa duas vezes por dia, mas só de dois em dois anos: horário eleitoral gratuito. Divirto-me com as figuras que, entre propostas redundantes, demagógicas e estapafúrdias, alegram esses cinqüenta minutos.
Parece que a hierarquia é também obedecida com o nível das piadas. Do candidato a presidente da República ao candidato a vereador há um caminho longo que é determinado pela quase completa falta de bom senso.
Os candidatos, neste pleito, concorrem à prefeitura e ao cargo de vereador. Prevalece o saco de risada nos programas dos vereadores.
As propostas dos candidatos goianos são mirabolantes. Vão desde a luta pela abertura de escolas de cabeleireiro de uma candidata na periferia (precisando de óleo de peroba, né não?) até o discurso non sense de um cara com nome Ganexa. Ganexa? Puta merda, não deixa! Vão de um professor (como os há) com cara de peixe morto, até um “maluco doido na câmara”. Será que resolve colocar raulzistas na câmara? Penso.
Minha memória política não é das piores. Lembro-me bem em quem votei nas últimas eleições. Fica fácil lembrar quando se vota nulo para quase todos os cargos. E percebo que nessas eleições vai ser difícil, porque o páreo está duro. As propostas são muito semelhantes. Antes os candidatos ofereciam bibelôs e coisinhas sem muita importância; hoje, mais descaradamente do que nunca, oferecem dinheiro através das bolsas criadas legalmente nos últimos anos.
Aquele discurso repetido à exaustão “deve-se dar o peixe, mas, além disso, deve-se ensinar a pescar” não tem sido cumprido. Lembro-me de um prefeito que adorava flores ter dito isso. Agora há outro candidato ao mesmo cargo que também repete o dito. E nenhum programa sério de pescaria nos estados. Só o Lula criou o “Ministério da Pesca”.
É inegável que são homens de coragem. Com uma cara-de-pau dessas, é muita pachorra aparecer/reaparecer para pedir voto a alguém. Aqueles que aqui foram cassados sofrem processos administrativos (entre outros) ou votaram contra os interesses do povo, são comediantes de início de carreira perto desses arautos da piada mal contada que vemos Brasil afora, como Maluf concorrendo à prefeitura de São Paulo mais uma vez. “Rouba, mas faz”, lembram?
Surpreendi-me com um jornal de circulação regional divulgar os nomes e as fotos dos vereadores que derrubaram o veto do prefeito aos 13º, 14º e 15º salários. O jornal divulgou inclusive quem se absteve da votação. Impressiona-me saber que os caras fizeram essa votação há pouco, em plena época de campanha política. O pior? A maioria é candidato à reeleição. (abaixo, foto dos FDPs)
A piada está no fato de não irmos atrás da vida desses homens públicos e depois reclamarmos de suas atitudes como políticos. É gozado cobrar algo de um candidato que nos aperta a mão olhando nos olhos e depois ver que aquilo era só aquele exato momento. Lembro-me de rir de um candidato daqui que falava dos candidatos que só iam à feira pra pedir votos, que só quem entende o feirante é o próprio feirante. Ri, porque não é o fato de eu ir a um lugar que determinará as necessidades daquele lugar. Mas o figura não está de todo errado se considerarmos que os políticos são nossos melhores amigos na hora de elegê-los, porém nossos maiores algozes quando tiram da boca de nosso filho o alimento com as benesses que fornecem para si e para os seus.
Será que ainda vamos rir dessa patuscada que se mostra diante de nós ou os palhaços já SOMOS nós? Quando penso nisso, fico completamente sem graça.

2 comentários:

Marcelaela disse...

Lembrei do meu pai que como um bom paulistano, além da seu lanche preferido ser pão com mortadela mais um café com leite, sempre votou no Maluff porque ele até poderia roubar, o que nunca foi segredo, no entanto ele fazia coisas boas para a cidade. O que me importa é que ele deve estar feliz (aonde ele estiver) pela posição do Maluff! Ahhhh, isso me dá uma gastura.
Bisou

Jéssi disse...

Cara,é foda viu essa nossa palhaçada de política.É ruim saber que nada do que os políticos digam, pensem, façam,é de fato verídico,salvem raras exceções.(que eu nããão conheço e nem sei se alguém conhece.Falo isso pq generalizar as coisas,em todos os aspectos,pode parecer algum preconceito ou ignorância da minha parte.)Mas seu post me fez lembrar da s eleições de amanhã...e eu não tenho a mínima idéia sobre em quem vou votar.Minha 1º eleição obrigatória(agora não dá mais pra fugir,percebe-se ai à nossa "Democracia" de forma concreta),deveria ser algo,no mínimo, que me fizesse sentir mais cidadã.Mas não faz.Que droooga hein...acho que vou votar nulo.Não tenho candidato e nem seei se quero fechar meus olhos pra isso tbm.Se pelo menos desse pra fazer alguma coisa...